Ensaio Geral - Espaço da Poesia comemora imigração japonesa
Antiguidades | Da redação/com FCMS | 24/06/2014 19h18

Espaço da Poesia comemora imigração japonesa

Compartilhe:

Campo Grande (MS) - A Fundação de Cultura do Governo de Mato Grosso do Sul realiza nesta sexta (27 de junho), a partir das 19 horas, no terraço do Memorial da Cultura e da Cidadania mais um Espaço da Poesia. Nesta edição será celebrada a chegada dos imigrantes japoneses no Brasil com lançamentos de livros, apresentações de música, dança e capoeira. A entrada é franca. 

No dia 18 de junho de 1908 o navio Kassato Maru chegou ao porto de Santos, trazendo 781 imigrantes. Desses, 26 famílias viriam para o sul mato-grossense atraídos por suas terras férteis, pouco exploradas e clima agradável. Duas associações representam os japoneses e seus descendentes em Campo Grande: a Associação Esportiva e Cultural Nipo Brasileira, fundada em 18 de Agosto de 1920 e a Associação Okinawa, criada em 1922. As duas levarão atrações de sua cultura para esta edição do Espaço da Poesia.
 
O Coral da Fundação de Cultura abre o evento com clássicos da música nacional e sul-mato-grossense. O grupo tem como objetivo incentivar servidores e membros da comunidade à prática do canto coral e também representa um meio de socialização. Conta com 35 coralistas entre servidores da FCMS e comunidade em geral. Tem como regente o maestro Orion Cruz e na coordenação a servidora Isolina Saraiva Nantes. 

Na sequência haverá o lançamento do livro “Capoeira Inclusiva”, de Josimar de Araújo, pedadogo e teólogo, especializado em Neuropsicopedagogia. O livro tem como proposta fazer uma releitura histórica do período da escravidão e uma breve abordagem sobre como e porque os negros c desenvolveram a Capoeira como mecanismo de defesa.

 O livro busca ainda analisar o que a Capoeira representou e importa enquanto modalidade reconhecida como manifestação genuinamente brasileira e patrimônio imaterial cultural. A publicação alcança seu objetivo ao relacionar o processo de desenvolvimento da Capoeira com o da pessoa com deficiência.

 A obra já está presente em diversos estados brasileiros e em mais de 25 países. O autor é integrante da instituição Abadá-Capoeira, onde há aproximadamente 15 anos iniciou-se a implantação de Capoeira Inclusiva nas instituições de Campo Grande com o estudo e o desenvolvimento de várias metodologias com fundamentações específicas para cada objetivo estabelecido. O grupo de alunos da Instiuição Abadá-Capoeira fará uma apresentação após o lançamento do livro.

 Dando continuidade ao “Espaço” será lançado o livro “A vida e a obra de Lobivar de Matos: o modernista (des)conhecido”, de Susylene Dias de Araújo.  Nascida em Corumbá, a autora possui graduação, mestrado e doutorado em Letras. Em 2009 organizou o livro Areôtorare e Sarobá, obras reunidas de Lobivar Matos, publicado pela editora da UFMS. Desde 2003 atua como professora da UEMS onde desenvolve pesquisas relacionadas a Lobivar Matos e outros escritores de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

 Na sequência a Associação Nipo Brasileira traz o Grupo de Dança Sakura, formado por crianças que apresentarão o Yosakoi Soram Kids, canção tradicional de duas províncias em um ritmo dinâmico, grande sucesso no Japão. O grupo também fará a apresentação do Ame Ame Fure Fure.

 Logo em seguida A Associaçao Okinawa apresentará o Grupo de Dança Seishun, formado em 2008 por jovens descendentes e não descendentes que levarão ao Espaço da Poesia o “Yasokoi Soran”, um estilo de moderno da música japonesa com ritmos enérgicos e marcantes, conhecido como carnaval japonês.

 A noite do Espaço da Poesia ainda terá o “Kariyushi Taiko”, mais conhecido apenas como “Taiko” (que significa tambor) e mais do que isso: uma dança milenar para saudar os antepassados de Okinawa, também apresentado pelo grupo Seishun. O taiko é uma dança que une a cultura dos mais velhos com a animação e energia dos jovens em uma única batida.

 Para finalizar a noite o Coral da Associaçao Nipo Brasileira levará ao público duas canções japonesas que apresentam em sua melodia e letra um grande significado para o povo japonês; “Hana Wa Saku”, composta para confortar e demonstrar solidariedade as vitímas do Tsunami que devastou a região de Fukushima e “Bachofu”, música regional de Okinawa.

 A decoração do Espaço da Poesia será feita pela Fundação Mitiki Okada, que por meio da Ikebana Sanguetsu (arte japonesa de arranjos florais) levará as cores das flores com simplicidades de linhas e respeito à natureza. Os japoneses tradicionalmente enfatizam os aspectos lineares do arranjo. O contato com as flores do Sanguetsu elevam a percepção das pessoas, levando-as ao um estado de serenidade, alegria e profundo relaxamento. 

Serviço: O Espaço da Poesia acontece nesta sexta (26), a partir das 19 horas. A entrada é franca. O Memorial da Cultura fica na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, no Centro.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS