Ensaio Geral - “Um poeta na cidade”, de Emmanuel Marinho, chega à Maracaju nesta sexta
Poesia | Da redação | 23/03/2017 06h32

“Um poeta na cidade”, de Emmanuel Marinho, chega à Maracaju nesta sexta

Compartilhe:

Com recursos do Fundo de Investimentos Culturais (FIC) da Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania, o projeto “Um poeta na cidade”, de Emmanuel Marinho, chega à Maracaju nesta sexta-feira (24/3), com apresentações no auditório da Câmara Municipal. O espetáculo acontece às 19 horas e a entrada é franca.

Contemplado pelo FIC 2016, o projeto “Um poeta da cidade” já visitou, desde dezembro do ano passado, os municípios de Jateí, Laguna Carapã, Itaporã e Caarapó.

Marinho leva sua poética e compartilha com o público momentos únicos do universo luminoso das palavras e dos encantamentos. O espetáculo é quase autobiográfico. “Um Teatro-depoimento generoso de boas histórias, contundentes ou plenas de doçura”, explica.

Emmanuel é um encantador de palavras: contando histórias e cantando sua terra, canta as cidades que nos habitam, personagens, cores, desenhando a identidade cultural de um povo e de um lugar.

Com diferentes arquiteturas – sempre valorizando suas raízes culturais – alcança uma dimensão universal e proporciona momentos de puro lirismo e humor sutil, com sua maneira própria de brincar com as palavras, uma de suas marcas pessoais. O público vai poder apreciar um espetáculo interativo que dialoga, dá voz ao público e encanta a todos.

Emanuel Marinho

Emmanuel Marinho é poeta, ator e educador. Nasceu em Dourados e é formado em psicologia na UNIP-SP e pós-graduado em Artes Cênicas pela UFRJ. Compõe poemas, edita-os em livros e os interpreta no teatro e na música.

Publicou os livros: “Ópera 3” ,1980, “Cantos de Terra”,1982, “Jardim das Violetras”, 1983, “Margem de Papel”, 1994, “Satilírico”, 1995, “Caixa de Poemas”, 1997 e “Caixa das Delícias”, 2003. Na música, o CD “Teré”, 2004 e o CD Encantares, 2015. Com seus espetáculos solos, inspirados em seus poemas, o multiartista excursiona, desde 1994, pelo Brasil, América Latina e Europa, sempre com sucesso de público e da crítica.

Em 2016, suas obras passaram a ser leitura obrigatória nos vestibulares da UFGD. Marinho é membro da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras e foi contemplado com vários prêmios por seus trabalhos artísticos, entre eles: Cidadão Da Paz, concedido pela Comunidade Bahá’i do Brasil-UNESCO em 1996, Prêmio Marçal De Souza – Pela Defesa dos Direitos Humanos – concedido pela Assembleia Legislativa em 1997 e a Homenagem do Circuito Cultural Banco do Brasil, em 2002, com Heitor Cony, por seu trabalho de literatura, o prêmio Marco Verde pelo Cd “Teré”, no mesmo ano e foi homenageado pelos Correios por seu trabalho a favor da leitura, em 2007.

Levou o prêmio FUNARTE de Circulação Literária em 2010, Prêmio Rubens Corrêa de teatro da FCMS em 2011 com a produção teatral “Ultimato: O Poema Secreto de S.J” e o prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz 2012 com “Tudo Porã por Aqui”.

Em 2015 recebeu a outorga de Guardião dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – ODM e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, do Programa das Nações Unidas/ONU. Em outubro de 2015 foi condecorado no grau de Comendador na Ordem Guaicurus do Mérito Judiciário, pelo TRT- MS.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS