Ensaio Geral - Estandes demonstram projetos desenvolvidos no Estado
Tecnologia | Da Redação/Com FCMS | 21/10/2015 13h19

Estandes demonstram projetos desenvolvidos no Estado

Compartilhe:

Foi aberta na manhã desta quarta-feira (21) a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em Mato Grosso do Sul. A Semana traz ao público, nas dependências do Memorial da Cultura, estandes com trabalhos desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), Energisa, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/MS), Federação das Indústrias de MS (Fiems), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Serviço Social do Comércio (Sesc), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Instituto Federal de MS (IFMS), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e Superintendência de Ciência e Tecnologia (Sucitec).

No estande da UCDB a equipe de estudantes pesquisadores trouxe o projeto da Equipe Tuiuiú, desenvolvido desde 2011 para a construção de um aeromodelo controlado por controle remoto. O atual capitão da equipe, Marcelo Henrique Martinelli Martins, acadêmico do quarto semestre de Engenharia Mecânica, explica que participam da Equipe Tuiuiú acadêmicos de Engenharia Mecânica, Engenharia de Controle e Automação (antiga Engenharia Mecatrônica) e Engenharia Elétrica.

A equipe participou, com seis acadêmicos, em 2012, da SAE Brasil Aerodesign, em São José dos Campos, que é uma competição internacional de aeromodelismo. O objetivo vai desde a construção do aeromodelo até cumprir etapas de voo. Neste primeiro ano de participação da equipe, de mais de 40 participantes, cerca de 15, conseguiram completar todas as etapas de voo sem danificar o aeromodelo, entre eles a Equipe Tuiuiú.

A equipe se prepara para participar da SAE Brasil Aerodesign 2016, que vai acontecer em outubro. Para isso vão construir um novo aeromodelo de acordo com o regulamento que vai sair em março, em que vão constar as especificações e limites estruturais que a competição exige.

Atualmente oito acadêmicos participam da Tuiuiú. O capitão da equipe, Marcelo Henrique, explica que o projeto agrega experiência, auxilia na aplicação dos conceitos aprendidos em sala de aula, ajuda a se ter ideia de como vai ser a carreira profissional no futuro. “Além disso, a participação nas competições proporciona interação com outras equipes, o contato com pessoas que são da aeronáutica, o que pode levar a conseguir estágios e oportunidades.”

Para Marcelo, participar da Semana de Ciência e Tecnologia proporciona aos alunos do ensino médio ter mais noção sobre as carreiras oferecidas, os caminhos a seguir, ajuda a quebrar o preconceito que existe sobre as atribuições de cada curso.

No estande do Senai, Guilherme Afonso, ex-aluno e atual estagiário, apresenta aos visitantes uma bancada que simula a prática no campo da indústria. A bancada, que apresenta tanto o processo pneumático (ar comprimido e seus componentes) e eoletropneumático, foi desenvolvida por ele sob orientação do professor Guilherme Afonso Bento, do curso de Automação Industrial.

Guilherme apresenta aos visitantes o funcionamento do aparelho, que simula o processo de fabricação de uma garrafa Pet de refrigerante, apresenta o processamento de embalagens e também movimentação de componentes, como tirar uma caixa de uma esteira. “No curso nós estudamos a parte teórica durante cerca de um mês, depois passamos tudo para o computador e aprendemos os componentes para a montagem. A bancada prepara o aluno para aprender atividades que ele vai desenvolver na indústria”.

A estudante Nahimah Badim, de 16 anos, que cursa o segundo ano do ensino médio, visitou o estante do Senai durante a apresentação da bancada e disse que achou interessante o que foi demonstrado “para conhecer melhor a área de automação”.

Greiciele Nunes Ferreira cursa o segundo ano do ensino médio, e o primeiro estante que ela visitou hoje foi o do Senai. “Achei muito interessante porque nunca tinha visto como é feito o processo de fabricação do que consumimos”.

A Fiocruz está em Mato Grosso do Sul desde 2009 e desenvolve uma política de expansão e regionalização das atividades de ciência e tecnologia, visando a redução das desigualdades regionais. No estande da Semana de Ciência e Tecnologia, a instituição apresenta seus eixos de atuação no Estado: Saúde dos Povos Indígenas, Meio Ambiente e Saúde; Saúde das Populações Vulneráveis; Saúde e Sociedade e Educação Permanente em Saúde.

O responsável pelo escritório da Fiocruz em Mato Grosso do Sul, dr. Rivaldo Venâncio da Cunha, afirma que a instituição desenvolve estudos pré-clínicos até a etapa clínica a respeito da dengue. No estande pode ser encontrado o livro mais recente escrito sobre a dengue no Brasil: “Dengue – Teoria e Práticas”. Também podem ser vistos os trabalhos sobre o 1º Seminário do Centro-Oeste de Chikungunya, realizado no dia 9 de abril de 2015, na Uniderp.

Rivaldo avalia como altamente positiva a participação da Fiocruz na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. “É um incentivo ao desenvolvimento regional da Ciência e Tecnologia no sentido de minimizar as assimetrias regionais. A Semana é um momento de mobilização de esforços com foco em despertar a juventude para atuar na área de Ciência e Tecnologia. É uma forma de articular para dar maior visibilidade para atividades que desenvolvemos no dia-a-dia. A Semana coroa um ano de atividades da Fiocruz, que é a maior instituição de C&T em Saúde na América Latina”, conclui.

Os estandes da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia estão abertos à visitação pública até esta sexta-feira, dia 23 de outubro.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS