Projetos | Com Prefeitura de Dourados | 05/10/2019 08h09

Prefeitura de Dourados desenvolve ações para a valorização dos idosos em várias regiões da cidade

Compartilhe:

A Secretaria Municipal de Assistência Social desenvolveu uma série de atividades no último dia primeiro de outubro em comemoração ao Dia do Idoso.

“Estamos desenvolvendo diversos trabalhos junto aos CCIs – Centro de Convivência da Pessoa Idosa e nos CRAS – Centro de Referência da Assistência Social dos diversos bairros da Cidade, com objetivo de promover uma melhor qualidade de vida a todos com mais de 60 anos”, afirmou a secretária de Assistência Social Fátima Alencar.

Conforme a secretária no mês de Junho, a Prefeitura de Dourados fez adesão ao Programa Viver Envelhecimento Ativo e Saudável, através do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, na Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa que visa oportunizar a inclusão digital e social assegurando a participação da pessoa idosa para elevar a qualidade de vida e contribuir para a promoção do direito ao envelhecimento ativo e saudável.

O município de Dourados, segundo Fátima, conta também com o apoio do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa, que no último mês de agosto deu posse aos novos conselheiros que trazem a proposta de incrementar as atividades já oferecidas nos diversos equipamentos e levar qualidade de vida aos idosos, promovendo o envelhecimento saudável e ativo da população, através do Fundo Municipal dos direitos da pessoa Idosa que a partir de 2020 irão deliberar sobre ações que possam ser desenvolvida a esse público.

Com o envelhecimento da população brasileira já demonstrada por diversas pesquisas se torna necessário uma política pública para o segmento, pressupondo qualidade de vida, que na velhice está associada à vida ativa, a busca por hábitos saudáveis como exercícios físicos, alimentação saudável, e a manter a mente estimulada com novas atividades. Outro fator associado à qualidade de vida na terceira idade são as relações sociais, com contato familiar, amigos e colegas de trabalhos.

“O papel da família para a qualidade de vida do idoso, além de relevante, está previsto em leis. Mais do que um papel, os familiares têm obrigação com os idosos. Isso, inclusive, é respaldado pelo Estatuto do Idoso” salientou Fátima Alencar.

Nesse sentido, o estatuto prevê que a família se envolva nos cuidados e na proteção do idoso, “respeitando os seus limites e a autonomia a fim de não o cercear de suas liberdades e desejos”.

O estatuto prevê que a família se envolva nos cuidados e na proteção do idoso, “respeitando os seus limites e a autonomia a fim de não o cercear de suas liberdades e desejos”, finalizou a secretária.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS