Pintura | Jeozadaque | 12/09/2011 12h37

Imerso em paixão e ego, Carnaval de Campo Grande terá semana decisiva

Compartilhe:

Mais embolado do que a tabela do Brasileirão, o Carnaval de Campo Grande – imerso em paixão, polêmica e egos– terá uma semana decisiva. Seis meses depois do desfile, além do atraso na entrega dos troféus, uma outra pergunta atravessa o samba entre a Lienca (Liga das Entidades Carnavalescas) e a Igrejinha, vice-campeã em 2011. Afinal, quem cai para o grupo de acesso e quem sobe para o grupo especial? O começo do fim da polêmica deveria ter ocorrido no ultimo sábado, em reunião na Morada dos Baís. Mas apenas duas – Igrejinha e Catedráticos do Samba – das dez escolas convidadas compareceram. “Agora, vou convocar o conselho e a decisão tem que sair ate sábado. Para planejar o Carnaval 2012”, afirma o presidente da Lienca, Eduardo de Souza Neto. Sem quorum, a reunião de sábado foi cancelada. O coro dos descontentes é puxado pela direção da Igrejinha, que deixa no ar a possibilidade de abandonar a liga. A questão é complexa, com várias formas de desfecho: cai a Cinderela Tradição e sobe a São Francisco, não cai e não sobe nenhuma escola ou, até mesmo, um grupo especial apenas com o duelo entre Vila Carvalho e Igrejinha. O pomo da discórdia é o regulamento que punia as escolas com dez pontos por não se apresentar completa no desfile. Com mais de dez pontos, a escola era desclassificada. Para a Lienca, o tempo chuvoso, que alterou inclusive a data do desfile, prejudicou as escolas. Ainda nos bastidores, um acordo verbal, firmado pela maioria acertou a perda de cinco pontos. Para a direção da Igrejinha, no entanto, ficou mantida a regra da desclassificação, que rebaixaria, automaticamente, a Cinderela Tradição, Cruzeiro e Catedrático para o grupo de acesso. “Tem que cumprir o regulamento”, afirma Osvaldo Pimenta de Abreu, da área jurídica e relações publicas da Igrejinha. “Palavra é palavra”, rebate o presidente da Liga. A discussão de avoluma, lembrando que Carnaval poderia se juntar ao trio indiscutível da Religião, Política e Futebol. Para a Igrejinha, a decisão do conselho, formado pelos presidentes das agremiações, será tendenciosa. “Quem vai votar para rebaixar a sua escola”, questiona Osvaldo. Eduardo reclama que mais difícil do que organizar a Folia de Momo é controlar o ego dos presidentes de escola. “Tem os que acham que a escola sempre esta sendo prejudicada. Outros, têm complexo de superioridade”. Lienca mostra cópia de acordo sobre punição a escolas. Duelo - “Não quero nem entrar nessa briga. Não acham solução nenhuma”, enfatiza Marilene Pereira de Barros, presidente da Catedráticos do Samba, que assistia em silêncio a tumultuada entrevista dos colegas. Depois de ser prejudicado pelas condições climáticas, desfilando com menos 40 pessoas do que o previsto, a escola pensa agora e em 2012. “O tema vai ser o Mercadão Municipal e no dia 18 vamos fazer a 1ª festa da primavera”. Segundo ela, o que importa a comunidade do bairro Silvia Regina é desfilar. Mas, caso vingue a proposta de apenas duas escolas no grupo especial, Marilene vislumbra uma batalha. “As escolas vão se dividir. Cada uma apoiando a Igrejinha ou a Vila Carvalho”. Da Redação/Com Campo Grande News

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS