Ensaio Geral - Fundação de Cultura democratizou o acesso a arte
Outros | Da redação/ com Assessoria | 23/12/2014 21h47

Fundação de Cultura democratizou o acesso a arte

Compartilhe:

Campo Grande (MS) – No fim de um ciclo de oito anos, a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul apresenta a população os resultados dos principais projetos executados. Os números refletem a paixão e o interesse de centenas de servidores públicos, produtores culturais e artistas que fizeram com que todos os 79 municípios se beneficiassem de nossa rica identidade artística. As particularidades entendidas pelas nossas atividades ajudaram a formar o mosaico cultural de nosso Estado.
 
“Nossas ações se destacaram pela democratização do acesso aos bens culturais e pela valorização da arte e do patrimônio material e imaterial. A intensa atividade artística vivida pelo Estado nos últimos anos é motivo de orgulho para os servidores da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. Levar a cultura a todas as regiões e comunidades e elevar sua grandiosidade através do incentivo às nossas múltiplas linguagens durante este longo período foi mais que uma missão: foi nossa marca”, analisa o presidente da FCMS, Américo Calheiros.
 
Confira algumas das atividades executadas pela Fundação de Cultura:
 
Literatura - Mais de 200 títulos de autores sul-mato-grossenses foram publicados pelo Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura. Através de nossas ações outros 250 mil livros foram doados para escolas, bibliotecas e instituições culturais.
 
Programa de Fomento a Bandas e Fanfarras – Foi investido R$ 1,7 milhão na aquisição de 2.509 instrumentos musicais novos que contemplaram 201 corporações de todo o Estado, estimulando a prática da música, fortalecendo o sentimento de coletividade, estimulando o surgimento de novas lideranças e vocações e, principalmente, modificando vidas.
 
Incentivo - O Fundo de Investimentos Culturais aplicou R$ 11 milhões na produção cultural sul-mato-grossense através de 440 projetos, beneficiando diretamente 47 municípios e indiretamente todas as cidades do Estado, dados que comprovam o sucesso do FIC no financiamento cultural nos últimos anos.
 
Difusão Cultural – Esta área de fomento da Fundação de Cultura também foi extremamente atuante. O Circuito-Sul-Mato-Grossense de Teatro encantou crianças e adultos de 59 municípios do Estado por meio de 235 apresentações, todas gratuitas. As peças levaram a manifestação teatral a cerca de 80 mil pessoas com pouco ou nenhum acesso a esta bela arte. O projeto Rota Cine exibiu filmes nacionais para 90 mil pessoas em 36 municípios e distritos. Já o Circuito Dança no Mato contou com 235 coreografias de grupos e artistas solos para 35 mil pessoas em 32 cidades.
 
Através do projeto Som da Concha a Fundação de Cultura realizou 284 shows musicais com jovens músicos e consagrados talentos sul-mato-grossenses para um público de 140 mil pessoas, mobilizando mais de 1.900 artistas, entre instrumentistas, produtores e técnicos de som.
 
A música também ganhou grande destaque por meio do projeto MS Canta Brasil. Foram 50 apresentações de grandes músicos sul-mato-grossenses e artistas de renome nacional que levaram ao Parque das Nações Indígenas um público de 2,4 milhões de pessoas em todas as edições.
 
Os Festivais da América do Sul e de Inverno de Bonito também foram sucesso de público. Nas oito edições de cada um realizadas pela nossa gestão na Fundação de Cultura os dois eventos somados contaram com 1 milhão de visitantes.
 
Museus - Com a realização de 113 mostras de artes que envolveram 638 artistas, o Museu de Arte Contemporânea – Marco – chegou à marca de 32 temporadas de exposições que foram apreciadas por cerca de 80 mil pessoas.
 
Já o Museu da Imagem e do Som realizou 340 eventos voltados ao fomento e a difusão do audiovisual do Estado que contaram com a participação de 26.370 pessoas nas atividades.
 
Centro Cultural José Octávio Guizzo – O espaço se estabeleceu como ponto de difusão de todas as artes e chancelou em oito anos 883 iniciativas culturais entre exposições, peças de teatro, apresentações de dança, seminários e palestras, exibição de filmes, oficinas, shows musicais, dentre tantos outros. Todas essas ações artísticas contaram com a participação de 116.300 pessoas.
 
Artesanato - As peças do Artesanato sul-mato-grossense estiveram presentes em mais de 40 feiras nacionais, levando a arte de mais de mil artesãos do Estado a um público superior a 14,8 milhões de pessoas. Também por meio das Exposições Temporárias na Casa do Artesão e do projeto Artesania, que visa à capacitação e criação de novos núcleos nos municípios, a arte fabricada em Mato Grosso do Sul manteve o alto padrão e o encantamento reconhecidos.
 
Cursos e capacitações - A Fundação de Cultura também investiu na capacitação. Foram realizados mais de 200 cursos nas distintas áreas culturais que beneficiaram 7.700 pessoas de todos os municípios do Estado.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS