Música | Da Redação | 01/08/2019 13h59

Músico usa sax de PVC e divulga trabalho pelo centro da capital

Compartilhe:

Com roupa social e gravata, Wagner Alves dos Santos é atração no centro de Campo Grande (MS), com seu sax de cano de PVC ao som de jazz. Com 38 anos e formado em Letras na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Ufms), o músico autodidata em instrumentos de sopro, sente-se mais confortável nas ruas produzindo e divulgando seu som, do que dentro da sala de aula.

“Eu trabalhava vendendo café na faculdade, fiquei um tempo dando aulas, mas sempre tive essa ligação com a música. Comecei a praticar mais, aprendi a ler partitura e com o tempo vários amigos começaram a incentivar eu me apresentar na rua. Vi que tinha receptividade e continuei”, relatou Wagner em entrevista ao site Campo Grande News.

O primeiro contato do músico com os instrumentos foi com a flauta doce, e depois disso, nunca mais parou. Ele costuma ficar no centro da cidade nos horários de maiores movimentos, para isso, chega às 10h e de acordo com a movimentação de pessoas, fica até às 16h.

Devido ao alto custo de um sax, Wagner se inspirou num método de Alessandro Galdino, que por meio do YouTube, fornece dicas de fabricação. Para o instrumento, ele usou uma garrafa de iogurte cortada ao meio, dois tamanhos de cano e bico um ferro envolvo com uma bexiga, que simula a paleta do sax.

Instrumento chama a atenção das pessoas que passam pelo centro (Foto: Marina Pacheco/Campo Grande News)

Há quase dois anos divulgando seu trabalho pelas ruas, o músico leva influências de Contrane, Dexter Gordon, Pharoah Sanders e outros artistas, e continua a tocar o jazz improvisado pelo movimentado centro da capital morena.

Com informações do Site Campo Grande News

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS