Música | Da redação | 24/05/2018 10h39

Há mais de uma década, Movimento Concerto propicia cultura

Compartilhe:

Em seu 11º ano de realização o projeto Movimento Concerto da UFMS segue com apresentações gratuitas promovendo a democratização do acesso à cultura. Na noite de terça-feira (22), na abertura das atividades de 2018, apresentaram-se no Glauce Rocha as Cameratas Madeiras Dedilhadas e de Cordas, e o Coro do curso de Música. No repertório, músicas latino-americanas.

A acadêmica de Matemática Luiza Angelina frequenta os concertos desde o ano passado. “Gostei muito das apresentações e sigo trazendo familiares e amigos comigo para prestigiarmos os músicos e acadêmicos. É uma boa oportunidade de aproveitarmos o que a Universidade produz e nos oferece”, disse. Ian Yamaguchi, de Engenharia de Produção, veio a convite de uma amiga. “Fazia parte de uma orquestra em Bonito, onde residia, e estava com saudade de música erudita. A arte é muito importante e deve estar em todos os lugares”, afirmou.

Já a aluna de Música e participante da Camerata de Cordas, Mônica Buceli, mostrou o lado dos músicos. “É maravilhoso para nós termos esse público presente e ver que eles gostam do que fazemos. Acredito que não só na nossa profissão, mas em todas, o intuito seja esse, ver que nossas ações beneficiam as outras pessoas. É gratificante”.

O Pró-reitor de Extensão, Cultura e Esporte (Proece) Marcelo Fernandes lembrou que desde o início em 2007 o projeto Movimento Concerto recebe grandes músicos e grupos nacionais e internacionais. “Fico feliz que a Universidade ofereça o acesso a esse gênero que não é tão veiculado, mas que, muita gente não sabe, é também patrimônio brasileiro. Além disso, o nome é Movimento Concerto, mas promovemos também outros gêneros, abrangemos a música clássica e suas fronteiras”, disse.

Para o coordenador do projeto, professor William Teixeira, a maneira estável com que o Movimento Concerto tem sido desenvolvido faz com que seja já parte da própria identidade da UFMS e da cena cultural campo-grandense. Como próximas ações, indica: “para este ano queremos descentralizar as atividades com outras duas séries de concertos além da principal a ser realizada aqui no Glauce Rocha; uma intitulada ‘Câmpus Sonoro’ com eventos previstos nos outros auditórios e anfiteatros em Campo Grande, e outra intitulada ‘Música nos campi’, que irá levar concertos às diversas cidades onde a UFMS desenvolve atividades”, finalizou.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS