Ensaio Geral - Espaço da Poesia celebra mês da Consciência Negra
Homenagem | Da redação/com Assessoria | 26/11/2014 12h42

Espaço da Poesia celebra mês da Consciência Negra

Compartilhe:

Campo Grande (MS) – O Museu de Arte Contemporânea (Marco) recebe neste sábado (29 de novembro), às 19h30, o espetáculo “Jogo de Damas”, da Esther Wietzman Companhia de Dança, do Rio de Janeiro. A apresentação faz parte do projeto Maria, Madalena & Jogo de Damas Intercâmbio, selecionado pelo Fundo de Investimentos Culturais de Mato Grosso do Sul. A entrada é franca.

 

Proposto pelo Conectivo Corpomancia junto da Arado Cultural, o intercâmbio busca promover o debate voltado à criação da dança contemporânea a partir de duas obras: “Maria, Madalena”, produzida pelo Conectivo Corpomancia em 2010 e “Jogo de Damas”, da Esther Weitzman Companhia de Dança e convidadas, de 2013, cujas temáticas giram em torno das questões do universo feminino.

 

Além disso, o encontro permitirá à coreógrafa Esther Weitzman permanecer em residência com as criadoras do Conectivo Corpomancia para juntas rediscutirem o espetáculo de “Maria, Madalena”, focando no aprimoramento da pesquisa e, a partir deste contato, propor modificações à obra.

 

Jogo de Damas, por Thereza Rocha - Se os afetos movem um coreógrafo, perpassam as suas obras. A conhecida alegria da coreógrafa e pesquisadora Esther Weitzman faz de “Jogo de Damas” um motivo de comemoração da dança carioca. Oito intérpretes, todas mulheres, dentre elas Claudia Horta, Giselda Fernandes,  Gisele Alvim, Manuela Weitzman, Mônnica Emílio, Patricia Riess, Renata Maciel e Roberta Repetto perfazem entre si o duplo sentido que dá nome ao espetáculo.

 

A escolha pela convivência no palco de variadas faixas etárias é chave do sentido dançado da obra. A coreografia é uma cena porque a dança tornou-se jogo, a ponto de extrair expressividade da vivência do movimento. Este traço marca a poética de Weitzman pautada por consistente e longeva pesquisa desenvolvida no diálogo entre a dança e o silêncio, responsável pela criação de intensas paisagens físicas em seus trabalhos.

 

Jogo de Damas promete o lúdico e o poético ao público iniciado e não iniciado nos jogos da dança contemporânea, investindo no quanto as variadas intensidades afetivas geradas na atualidade do jogo atuam na corporeidade dançante a ponto de transforma-la continuamente no atrito da experiência. Possibilidade de atar o laço entre palco e plateia que, uma vez dentro da casa teatral, são também tornados partícipes entre si de um ato de jogar.

 

Serviço: O espetáculo Jogo de Damas será apresentado às 19h30 no Museu de Arte Contemporânea, que fica na Rua Antonio Maria Coelho, 6.000, no Parque das Nações Indígenas. A entrada é franca.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS