Ensaio Geral - Escola da Reme desenvolve projeto sobre fotógrafo da Capital
Fotografia | Da redação | 22/11/2017 10h30

Escola da Reme desenvolve projeto sobre fotógrafo da Capital

Compartilhe:

Um projeto pedagógico elaborado pela equipe da Escola Municipal João Evangelista Vieira de Almeida, localizada no Bairro Santo Amaro, levou um dos mais renomados fotógrafos de Campo Grande, Roberto Higa, para visitar uma exposição dos alunos da escola, elaborada a partir do trabalho dele.

O projeto intitulado “Roberto Higa na Educação Infantil: visões de mundo nas perspectivas das crianças”, foi desenvolvido no segundo semestre do ano de 2017 e a exposição é resultado dos trabalhos realizados pelos próprios alunos. Ao todo, 170 alunos divididos em sete turmas participaram da organização da mostra.

A intenção da equipe pedagógica foi mostrar que a escola valoriza a fotografia como arte e elegeu o trabalho de Higa para exemplificar o conteúdo ministrado aos alunos.

“O intuito da escola também foi mostrar o trabalho artístico, que é um fator fundamental no processo de desenvolvimento da auto expressão, bem como uma espécie de documento que registra as visões de mudo das crianças”, disse o diretor da unidade, Fábio Reis.

Para realizar o projeto, as crianças registraram por meio de fotos as visões de mundo relacionadas à sua identidade, família, casa, escola e suas brincadeiras preferidas. Com o resultado, a escola pretende deixar os alunos com noções fotográficas, ampliar visões de mundo e constituir as crianças como sujeitos ativos no processo de ensino-aprendizagem.

Aprendizagem

A professora Lucia Benites, do Pré II explicou a importância deste tipo de atividade para os alunos. “Trabalhamos a historia da fotografia. Esse tipo de projeto fortalece muito a aprendizagem dos alunos. Através da arte elas aprenderam o conteúdo de forma lúdica, tirando suas próprias fotos. Eles foram os protagonistas do projeto”, afirmou.

Para a professora Graciela Targino, do Pré I, a visita do artista contribuiu para que as crianças conhecessem a cultura da região. “O projeto contribui para eles conhecerem a nossa cultura regional. Conheceram sobre as características do Estado e ainda tiveram noção de algumas técnicas de fotografias”, disse.

O aluno Cleber Correia da Silveira Filho, de 5 anos, disse que gostou de conhecer o trabalho de Higa. “Eu gostei da visita por que ele tirou foto de mim e eu pintei um carro vermelho que estava em uma foto”, contou, exibindo o desenho.

Roberto Higa, que começou a fotografar no início da década de 1960, acompanhou todos os trabalhos dos alunos da escola e ficou emocionado com os trabalhos e a homenagem das crianças. “A vida está me oferecendo o que nunca eu pensei que seria ofertado. Os alunos pesquisaram minha vida e sentiam que eram meus amigos. Não há coração que aguente. Foi muito carinho recebido. Me surpreendeu porque eles sabiam de toda a vida da minha família. Não existe coisa melhor do que chegar em uma escola e ver alunos com pouca idade, entre 4 e 5 anos, falarem de seu trabalho. Fiquei muito emocionado”, revelou.

Lúdico

Os alunos procuraram, por meio de argila, fazer releituras de algumas obras fotográficas de Higa. Um exemplo foi uma imagem do relógio central que existiu na Rua 14 de Julho. Os alunos também utilizaram materiais recicláveis como caixas de leite e tampas de garrafa para construir réplicas de máquinas fotográficas. Alguns estudantes também fizeram desenhos retratando a imagem do fotógrafo.

Durante a visita, Roberto Higa conversou com as crianças sobre sua carreira e fotografia e fez questão de observar cada detalhe dos desenhos produzidos pelos alunos.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS