Ensaio Geral - Estudantes abrem a programação do Circo da Cultura e Cidadania
Festival | Da redação | 25/05/2018 09h10

Estudantes abrem a programação do Circo da Cultura e Cidadania

Compartilhe:

O olhar atento e as mãozinhas inquietas deixam transparecer a ansiedade e a expectativa dos alunos que se apresentaram ontem (24/05) no Circo da Cultura e Cidadania (CCC), na praça Generoso Ponce, que virou um grande palco de integração da cultura sul-americana.

Do tango argentino ao carnavalito boliviano, do som pantaneiro à cumbia equatoriana, o que não faltou foi diversidade de ritmos, cores e coreografias que enriqueceram o primeiro dia do 14º FASP e propiciaram aos estudantes conhecer a diversidade cultural da nossa América Latina.

Os alunos da Escola Municipal Rural Polo Monte Azul, orientados pela professora Vitória Régia Kassar, apresentaram o famoso tango de Carlos Gardel, “El dia que me quieras”. A aluna Maiza Moreno conta que conheceu mais sobre a Argentina ensaiando para a apresentação. “Foi uma maravilha para mim, tenho curiosidade de conhecer mais os outros países através da dança”, comenta.

O primeiro dia de apresentações contou ainda com a participação da trupe do Circo Medellín que arrancou gritos e aplausos do público. O fundador e diretor do grupo, Carlos Alvarez, diz que são poucos países da América Latina que fazem um esforço de promover um festival como este. “Este encontro é um espaço de paz e de fortalecer a integração latino-americana.

Acredito que as autoridades culturais daqui, com este evento, dão uma atenção ao presente dessas crianças, assegurando um futuro melhor”, afirma.

Essa é a primeira vez que os estudantes protagonizam as apresentações no Festival América do Sul Pantanal. De acordo com o Secretário da Cultura e Cidadania, Athayde Nery, “essa é a grande inovação. Ao ver o olharzinho da criança, ela encantada, participando e tendo a oportunidade de ouvir, de assistir e de fazer a arte. Isso dá acesso à integração. Ter orgulho de ser brasileiro, paraguaio, sul-americano, e fazer com que as fronteiras sejam meramente geográficas, mas que não sejam humanas. Isso que estamos cultuando aqui, a celebração da paz, da liberdade com o conceito de cidadania cultural.

A estudante Silveria Rodrigues, que se apresentou com o Grupo Cultura de Carmen, da cidade boliviana de Carmen Rivero Torres, conta que foi uma imensa alegria participar do FASP apresentando uma dança típica que mostra a alegria dos bolivianos. “Com o festival, podemos conhecer os outros países, para que haja uma comunicação entre nós. Para que possamos nos conhecer e convidá-los quando haja algum festival. E estejamos sempre presente para nos apoiar e ajudar em tudo que precisarmos”.

Durante o festival, 26 escolas da rede pública de ensino das cidades de Corumbá, Ladário, Puerto Suarez, Puerto Quijarro e El Carmen Rivero Tórrez irão homenagear expressões culturais brasileiras e de países sul-americanos.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS