Ensaio Geral - Fundação de Cultura realiza oficina de Educação Patrimonial do Geopark em Aquidauana
Ensaio | Jeozadaque | 18/04/2012 12h23

Fundação de Cultura realiza oficina de Educação Patrimonial do Geopark em Aquidauana

Compartilhe:

O Governo do Estado, por meio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, promove no próximo dia 20 de abril em Aquidauana a oficina pedagógica do Projeto de Educação Patrimonial Educar para Proteger – Geopark Bodoquena-Pantanal. A iniciativa da Gerência de Patrimônio Histórico e Cultural da Fundação de Cultura acontece na Fundação de Cultura de Aquidauana, localizada na rua Theodoro Rondon, 765, em frente à Praça dos Estudantes (antiga escola Antônio Corrêa). As palestras são destinadas a professores, coordenadores, guias de turismo e acadêmicos interessados no tema Geopark. A oficina visa esclarecer sobre a metodologia e os preceitos da educação patrimonial e oferecer aos participantes um momento de reflexão sobre este assunto desenvolvido por uma equipe de técnicos do Iphan-MS, da Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul) e da FCMS. As oficinas serão ministradas pelo historiador Carlos Versoza, pela pedagoga e mestre em desenvolvimento local Maria Christina Félix, pelo arqueólogo Divaldo Rocha Sampaio e pelos professores doutores José Rímoli e Afrânio José Soares. O Projeto de Educação Patrimonial Educar para Proteger é desenvolvido pela Fundação de Cultura desde 2009 e envolve cinco municípios: Campo Grande, Terenos, Aquidauana, Miranda e Dois Irmãos do Buriti. Esta é uma ação permanente cujo objetivo é sensibilizar e conscientizar as pessoas para a preservação do patrimônio cultural além da concretização de projetos culturais. “O Projeto de Educação Patrimonial é um investimento do Governo do Estado que surgiu com o objetivo de fortalecer o patrimônio histórico regional, aliando ações da cultura e educação, promovendo uma percepção mais aguçada, crítica e carinhosa para com tudo aquilo que faz parte da sua própria história, de seu bairro e de sua cidade, seja um bem material ou imaterial, um imóvel, um monumento, uma história, uma lembrança. E no caso do Geopark Bodoquena- Pantanal acredito que o sentimento de pertença local e o orgulho do sul-mato-grossense por sua terra é essencial ao desenvolvimento local, resultando em melhor qualidade de vida a todos”, afirmou o presidente da Fundação de Cultura, Américo Calheiros. O termo Geopark está associado a uma área delimitada, com excepcionalidades geológico-paleontológicas, ligada ao desenvolvimento da cultura, economia, ciência e turismo local/regional. De acordo com os membros da Diretoria Executiva do Geopark Bodoquena-Pantanal, é relevante os trabalhos de pesquisa sobre a temática, tendo como elemento integrador o desenvolvimento entre diferentes áreas protegidas que abrangem desde a Serra da Bodoquena até parte da planície pantaneira, totalizando 39.700 Km quadrados, 13 municípios e 47 geossítios. O Geopark Bodoquena - Pantanal foi criado pelo Decreto Estadual nº. 12.897, de 22 de dezembro 2009 e está em processo para obter a chancela da Unesco e tornar-se membro da Rede Global de Geoparks. Da Redação/Com Assessoria de Comunicação de Aquidauana

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS