Audiovisual | Da redação | 07/03/2017 08h24

Festival Universitário de Audiovisual recebe inscrições de participantes de todo o Brasil

Compartilhe:

Seguem abertas até 7 de abril as inscrições para a 9º edição do Festival Universitário de Audiovisual (FUA), premiando obras produzidas por estudantes universitários ou recém formados de todo o Brasil. Neste ano o Festival distribuirá R$ 5 mil, R$ 1.600 e R$ 700 para os três primeiros colocados em cada uma das categorias em disputa.

O Festival vem com um novo formato: “Esta edição tem categorias mais modernas, atualizadas e repaginadas, até o valor de premiação é muito maior visando a valorização do produtor audiovisual, além da proposta de oficinas para 2017”, conta a coordenadora do núcleo de audiovisual da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Lidiane Lima.

Nos últimos anos o FUA colaborou com o crescimento de produções audiovisuais no Estado, garantindo espaço para a produção independente e estimulando a formação de novos talentos no ramo, como Leo Coutinho, Essi Rafael, Thiago Moraes e outros.

“O FUA tem o intuito de estimular a produção local. Grandes nomes do nosso audiovisual passaram por ele. O fato de abrir para todo o Brasil com certeza estimula os produtores daqui a desenvolverem algo com mais criatividade e qualidade, além do contato, a troca de experiência com gente de fora, é importante saber o que se produz além do Mato Grosso do Sul”, comentou a gerente de Difusão Cultural da Fundação de Cultura, Soraya Ferreira.

Cada participante poderá concorrer somente com um trabalho por categoria ou subcategoria, onde serão avaliadas a narrativa, a linguagem e à estética dos vídeos e peças radiofônicas, buscando inovação, ousadia na exploração de temas e de técnicas.

Os locais e horários da Mostra e da Noite de Premiação serão divulgados no site da Fundação: www.fundacaodecultura.ms.gov.br. O edital e a ficha de inscrição para 9º Festival Universitário Audiovisual estão disponíveis no no Diário Oficial do Estado ou nas páginas da Fundação de Cultura e da Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei), no banner Editais de Cultura. As inscrições vão até o dia 7 de abril de 2017.

Confira as categorias:

Categoria I – Vídeo:

Subcategoria I.a) Vídeo Ficção: seqüência elaborada de imagens e sons reproduzidos tecnicamente utilizando uma narrativa imaginária, mesmo que parcialmente baseada em fatos reais. A forma como estes elementos reproduzidos são organizados leva o espectador à percepção de uma realidade à parte. Esta realidade faz sentido somente dentro do filme, e neste limite exclusivo ela é coesa e coerente.

Duração: até 15 minutos.

Subcategoria I.b) Vídeo Documentário: corrente cinematográfica que se caracteriza pelo compromisso com a exploração da realidade, mesmo que parcial e subjetiva. John Grierson, criador do termo cinema documentário assim define: “O documentário é o tratamento criativo da realidade”.

Duração: até 15 minutos.

Subcategoria I.c) Vídeo Reportagem Jornalística: O vídeo reportagem está inserido no âmbito da produção jornalística e como tal deve atender aos preceitos jornalísticos. Desta forma pode informar, analisar ou discutir ideias, mas elas devem necessariamente referir-se à realidade.

Duração: até 5 minutos

Subcategoria I.d) Vídeo Publicitário: é a peça audiovisual de uma campanha publicitária. Esta deve atender às necessidades publicitárias do produto, marca, serviço ou ideologia a que se refere sem a necessidade de peças complementares.

Duração: exatamente 15 segundos ou exatamente 30 segundos.

Subcategoria I.e) Videoclipe: Os elementos básicos constituintes do videoclipe são a música, a letra e a imagem, que, manipulados, interagem para provocar a produção de sentido. Os aspectos (características) de como estes elementos são construídos incluem a montagem, o ritmo, os efeitos especiais (visuais e sonoros), a iconografia, os grafismos, e os movimentos de câmera, entre outros. Para essa categoria será necessário a autorização da banda ou artista para a realização do vídeo. Duração: até 7 minutos.

Subcategoria I.f) Vídeo Experimental/Arte: é uma forma de expressão artística que explora a tecnologia do videotape e da televisão como forma, linguagem e suporte para obras multimídias, como videoinstalações, videopoemas, videoperformances, videoesculturas, videodança e videotextos, entre outras. No final dos anos 60, o desenvolvimento da tecnologia portátil do vídeo e o seu barateamento fizeram com que ele passasse a integrar os recursos disponíveis para muitos artistas visuais.

Duração: até 05 minutos.

Categoria II – ANIMAÇÃO: Animação é um processo em que cada fotograma de um filme é produzido individualmente. Podendo ser gerado por computação gráfica ou fotografando uma imagem desenhada ou objeto repetidamente, fazendo apenas pequenas mudanças. Quando os fotogramas são ligados entre si o filme resultante é uma ilusão de movimento contínuo.

Duração: até 5 minutos.

Categoria III – RÁDIO: Programa Radiofônico – Gênero de Variedades: Durante muito tempo este gênero foi conhecido como Rádio-Revista e tem como característica a mistura em um único programa dos vários gêneros existentes, baseando-se principalmente no tripé música-informação-entretenimento. Durante as décadas de 1940 e 1950 eram apresentadas, neste tipo de programa, as famosas radionovelas (que serviram de base para as telenovelas de hoje). Também é comum que o Programa de variedades privilegie o setor de prestação de serviços. A versatilidade de assuntos possibilita que este tipo de programa se dividida em assuntos/quadros. O papel do locutor é o de garantir a descontração da transmissão, sem que sua participação tenha interferência direta no material que está sendo difundido. Isto significa que neste gênero de programa o foco central é a mistura de assuntos, e não a presença de um determinado apresentador.

Duração: até 15minutos.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS