Brinquedos feitos por internos da Máxima renovam retorno às aulas

"/>
Artesanato | Tatyane Santinoni - Agepen | 25/08/2021 10h13

Brinquedos feitos por internos da Máxima renovam retorno às aulas

Compartilhe:

Após 15 meses com aulas remotas na Rede Municipal de Ensino (Reme), como medida de prevenção ao contágio da Covid-19, a rotina escolar iniciou a retomada gradual e escalonada em Campo Grande. Para recepcionar as crianças, brinquedos confeccionados por detentos estão sendo distribuídos às escolas municipais.

Ao todo, duas unidades já foram contempladas, dentre elas a Escola Municipal Eloy Souza da Costa, no bairro Jardim Tijuca, e a EMEI Piratininga. As entregas também fazem alusão aos 122 anos de Campo Grande – celebrado no dia 26 de agosto.

O trabalho contempla a mão de obra de internos do Estabelecimento Penal "Jair Ferreira de Carvalho", na capital, na confecção de brinquedos como bonecos de crochê, denominados de Amigurumis.

A ação integra o projeto "Costurando o Bem", que já beneficiou 16 unidades escolares, através da parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e a Secretaria Municipal de Educação (Semed), e foi idealizado pelo agente penitenciário Vinícius Saraiva e o técnico de educação, Felipe Augusto da Costa.

Representando a direção da Agepen durante as entregas, a chefe da Divisão de Trabalho Prisional, Elaine Cecci, destacou a importância da ocupação produtiva para os apenados. “Temos mão de obra disponível e contribuir com a educação das crianças renova a esperança de todos os envolvidos nesse processo, principalmente em momentos tão difíceis que a humanidade vivencia. O essencial é não perdermos a fé e a gratidão, aplicando nossos talentos em benefício do outro”, ressaltou.

As peças em crochê foram distribuídas nessa segunda-feira (23.8) para as escolas Eloy Souza da Costa, no bairro Jardim Tijuca, e EMEI Piratininga e envolveram 20 brinquedos para cada unidade.

Atendendo 268 crianças entre 4 meses e 4 anos, a diretora da escola Eloy Souza, professora Celeide Alves Gonçalves, revela que ver o olhar das crianças ao interagir com as peças é gratificante. “Muitos não têm em casa e ter na escola faz toda a diferença no aprendizado e interação”, afirma, destacando que o projeto deveria ser estendido para outras penitenciárias.

O projeto teve início em 2015, denominado anteriormente “Educação Lúdica com Brinquedos Pedagógicos”, e objetiva explorar ao máximo o universo lúdico, contemplando os diferentes aspectos de sua formação integral, por meio dos brinquedos lúdico-pedagógicos.

O servidor da Agepen, Vinícius Saraiva, destacou que a idealização dos brinquedos de Amigurumis teve como foco a durabilidade das peças, inclusive a caixa também foi pensada para a interação com a criança, pois possui molas na tampa, para que não machuque as mãos dos pequenos. “A intenção da agência penitenciária é devolver à sociedade o que foi tirado de certa forma”, complementou o servidor.

Outra escola contemplada com os brinquedos, nesta semana, foi a EMEI Piratininga. De acordo com a diretora, profª. Ana Cristina Dorsa, os brinquedos representam a linguagem da criança, é vida, alegria, criatividade, por isso é tão gratificante recebe-los. “Nós como educadores acreditamos na ressocialização, no ser humano, que merecem ter um horizonte para onde olhar, que sigam nesse projeto e tenham uma fonte de renda lícita, tudo isso é muito positivo”, ressaltou.

As escolas receberam carrinhos, bonecos, bolas e jogos educativos, para serem utilizados nas aulas e em momentos de brincadeiras no ambiente escolar.

A secretária Municipal de Educação, profª. Elza Fernandes, reforçou que a parceria possui um significado muito humanizado, que vai além de uma simples entrega de brinquedos. “Tem todo um carinho por trás desse trabalho, muitas dessas peças são usufruídas pelos próprios filhos desses internos; já passamos para eles os vídeos de algumas entregas que realizamos e sentimos a alegria no olhar deles”, afirmou.

A secretaria destacou ainda a confecção de roupas de ballet para as crianças, confeccionadas pelas mulheres em situação de prisão. “Então essa parceria deu muito certo e só tem aumentado, inclusive outros municípios e secretarias também já estão solicitando os parques”, complementou.

Também estiveram presentes na entrega a secretária-adjunta da Semed, prof.ª Soraia Inácio; o superintendente de Políticas Pedagógicas, profº. dr Waldir Leonel; a Gerente da Educação Infantil, Isabel Corrêa e o vereador Professor Riverton.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS