Artes | Da redação/com Dourados Agora | 21/07/2014 14h52

Artista ganha a vida produzindo estátuas de cimento em Dourados

Compartilhe:

Dourados (MS) - Quem passa pela BR-163, no distrito de Vila São Pedro, em Dourados, talvez já deve ter visto um escultor dando forma a estátuas sacras e pantaneiras. À beira da rodovia, Elias José Simões, de 44 anos, cria diferentes tipos de obras, todas encomendadas, geralmente, por clientes que passam pelo local e admiram o seu trabalho.

Autoditada, Elias aprendeu sozinho a técnica de concreto armado. Já são dez anos que ele esculpe obras, a maioria pantaneira, instalados na entrada de cidades sul-mato-grossenses, como Laguna Carapã, Anhanduí, Chapadão do Sul, Fátima do Sul. São onças, vacas, bois, peixes, papagaios, tucano, tuiuiú. “Já fiz umas 200 esculturas, a maioria com dois metros de altura”, diz o escultor.

De uns anos para cá ele vem recebendo encomendas de obras sacras. Os primeiros pedidos foram feitos por igrejas católicas, com imagem de Nossa Senhora, e depois a clientela se estendeu para outras religiões, como candomblé.

Cada peça tem aproximadamente dois metros de altura e todo o processo de confecção é feito em até 40 dias. “Não fico exclusivamente numa peça para não perder tempo. Prefiro trabalhar duas ou mais ao mesmo tempo”, disse o escultor, que estudou até o segundo ano primário.

VEJA MAIS
Compartilhe:

PARCEIROS